Shingeki no Kyojin – capítulo 139: Análise completa com SPOILER

Eren Yeager: o menino sonhador que ganhou as asas da liberdade

nota

Nota: 6

O dia enfim chegou – hoje saiu o último capítulo de Shingeki no Kyojin (Attack on Titan). Aqui vamos fazer uma análise completa do final da série.

Antes de falar dos detalhes do capítulo final, vamos contextualizar os capítulos 137 e 138 para a história fazer sentido.

O que aconteceu entre o último episódio do anime e o capítulo 137 (resumidamente)? Se a resposta estiver fresca na sua memória você pode pular direto para o 139!

  • Zeke Yeager sobreviveu e se juntou à batalha dentro das muralhas e usou seu “grito” para transformar todos que haviam bebido o vinho com o seu fluido espinhal em um exército de titãs.
  • Gabi explodiu a o pescoço de Eren com uma arma anti-titã. A cabeça de Eren voou e caiu nos braços de Zeke. O contato da medula de Eren com o sangue real de Zeke garantiu a sobrevivência de ambos.
  • Após uma disputa de interesses entre os irmãos Yeager no “mundo dos Caminhos”, Eren conseguiu conquistar a vontade de Ymir e ativou o “estrondo” (todos os colossais dentro das muralhas). Eren se tornou uma monstruosidade esquelética três vezes maior que as muralhas;
  • A ação de Eren também desfez o endurecimento de Annie Leonhart (Titã Fêmea);
  • Galliard se sacrificou e deu o Titã Mandíbula para Falco – que virou titã puro graças a Zeke;
  • Uma aliança entre Paradis e Marley se formou para tentar para o estrondo;
  • No processo, a aliança matou os Yeageristas e foi atrás do estrondo para tentar pará-lo. Eles encontraram Eren e decidiram explodir o pescoço do titã de ossos.
  • Ymir ativou todos os outros titãs originais que já existiram (como Berthold, Zeke e Grisha Yeager) para enfrentar a aliança. No processo, Armin foi “devorado” por Ymir e foi parar no mundo dos Caminhos e lá encontrou Zeke.

Capítulo 137

No capítulo 137, Zeke e Armin conversaram sobre as motivações deles e de Ymir e Zeke explicou como uma crianã escravizada se tornou a Titã Fundadora. Enquanto isso, no mundo real, a aliança era despedaçada pelas tropas dos titãs originais.

Armin convenceu Zeke a tentar para o estrondo e ele despertou a consciência dos portadores dos titãs originais. Com isso, todos eles reassumiram o controle de seus titãs e lutaram para ajudar a conter Eren e Ymir.

Com isso, Armin conseguiu ser resgatado de dentro de Ymir e Levi finalmente matou Zeke. Isso fez com que o exército de Titãs Colossais parasse. Isso também permitiu que Jean explodisse a cabeça do Titã esqueleto.

O Parasita responsável pelos poderes os titãs saiu do corpo do titã esquelético e tentou se unir com Eren novamente. Armin aproveitou a deixa para explodir tudo com a sua transformação.

Reprodução/Mangá Livre

Capítulo 138

No capítulo seguinte, eles descobrem que a explosão do Titã Colossal não foi suficiente para parar Eren nem o parasita e os dois voltaram à batalha.

Enquanto isso, “a vida” deu um duro golpe nos personagens principais e transformou mais uma leva em titãs puros – Jean, Connie e Gabi estão entre eles.

A batalha possivelmente teve um fim com a última cena do capítulo.

Com a ajuda de Levi, Mikasa decepou a cabeça de Eren.

Reprodução/Mangá Livre

O Capítulo 139

O Capítulo 139 foi uma grande decepção para mim. Tentando explicar toda a narrativa, Hajime Isayama colocou os principais acontecimentos da história como obras de Eren – até mesmo a morte de sua mãe.

Seguindo a teoria do poder do Titã de Ataque, Eren previu tudo o que iria acontecer e tramou (do futuro para o passado) os fatos que o levaram até aquele ponto.

Basicamente, Eren sabia de tudo desde que beijou a mãe de Historia Reiss no dia da coroação dela. A partir daí ele moveu as peças do tabuleiro no passado e no futuro.

Com a morte do portador do Titã Fundador e a “vida” sem um hospedeiro, o poder dos titãs desapareceu do mundo e os herdeiros de Ymir puderam viver em certa harmonia, conforme o desejo de Eren.

Teoria:

O medo da morte de Eren quando ainda estava em posso do Titã Fundador permitiu que ele vivesse, mas não no corpo de de um humano. Analisando passagens da parte final do Mangá, podemos entender que o personagem continuou vivendo como um pássaro.

Reprodução/Mangá Livre

Vale lembrar que foi o medo da “morte” que criou a vida (o parasita) e foi esse medo também o responsável por unir ela a Ymir.

Reprodução/Mangá Livre

Isayama tentou dar um final poético e feliz para uma obra baseada em dor, morte e batalhas. O que não é um problema, mas o autor errou feio na dose e acabou levando o plot twist para longe demais.

Por isso, o final ganhou nota 6, apesar de o conjunto da obra ser nota 9,5.

Onde ler: Mangá Livre

Publicado por Pedro Henrique Ribeiro

Jornalista, escritor e autor do blog Otaku de Dread

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: